24 de maio de 2008

Bat-release de 2005 em português


DICIONÁRIO DO MORCEGO
Jornalista lança guia com 1,5 mil verbetes sobre Batman, o herói multimídia

As muitas versões e todos os detalhes que formam o universo do mais popular herói dos quadrinhos estão agora ao alcance da mão. Escrito pelo jornalista Sílvio Ribas, o DICIONÁRIO DO MORCEGO desvenda Batman ao longo de quase 1,5 mil verbetes. O livro é resultado da pesquisa que o autor desenvolve desde criança, como colecionador de informações sobre o famoso ícone da cultura pop.

Desde vilões e aliados clássicos do Cavaleiro das Trevas – como Robin, o mordomo Alfred, Coringa, Pingüim, Charada e Mulher-Gato – até nomes de pessoas e lugares inspirados na lenda, as 276 páginas do glossário trazem minuciosa sondagem de tudo que se refere ao Homem-Morcego. Mais do que um catálogo de autores, obras e personagens, o livro contempla também citações, paródias e alusões. “Quis escrever o mais amplo guia em língua portuguesa sobre Batman em seus 66 anos de história e nas mais diferentes mídias”, diz Ribas.

A obra de perfil inédito chega às estantes ao mesmo tempo que se começa a chamada terceira onda da Batmania, deflagrada com a estréia do filme Batman Begins em salas de exibição de todo o mundo. As duas primeiras ondas foram ancoradas no seriado televisivo de 1966 e no filme que inaugurou a série, em 1989. O resultado delas é que até mesmo quem nunca leu os gibis reconhece o herói e seus símbolos.

Batman é o mais lucrativo, reproduzido e adaptado produto da indústria do entretenimento de todos os tempos, sem mencionar os inúmeros textos acadêmicos e usos de sua marca em empresas, eventos e até movimentos políticos. Para ilustrar isso, o Dicionário do Morcego lista os números bilionários do defensor de Gotham City.

Nas infindáveis encarnações da obra-prima da dupla Bob Kane e Bill Finger, se incluem o mais comentado seriado de TV, a mais famosa femme fatale, a maior bilheteria do cinema até a década de 80, o mais prestigiado desenho animado da história, o mais antigo título de revista em quadrinhos ainda em circulação, a mais influente obra da indústria dos quadrinhos, o maior número de artigos licenciados, o mais famoso carro do mundo, a fantasia preferida dos garotos e o maior impulso na carreira de muito artista. Interessados no livro podem, assim, ter não apenas um compêndio de consulta fácil, mas o exemplo de quão longe uma criação artística pode chegar.

Quadrinhos, cinema, televisão, desenho animado, comerciais, games, rádio, brinquedos, música e curiosidades diversas. Com tal abrangência, estão entre os objetivos do livro, explica Ribas, criar um ponto de convergência entre todos os fãs e oferecer fonte imprescindível para pesquisas ainda mais aprofundadas sobre o tema e outros assuntos relacionados. Ele lembra que a obra tem tudo para atender um público ainda maior que os iniciados em Batman, servindo de material de referência para profissionais das áreas de comunicação, psicologia, história, sociologia e artes em geral.

Para redigir sua enciclopédia batmaníaca, Ribas se valeu de seus meticulosos arquivos pessoais, da leitura de dezenas de livros nacionais e estrangeiros e o diálogo permanente com aficionados, conforme mostra a bibliografia. Ele presenteia o leitor ainda com a mais completa cronologia, desde The Bat-Man (maio de 1939) até Batman Begins (junho de 2005). "O livro ajuda a compreender as razões do fascínio de tanta gente pelo herói sem superpoderes, além de ser uma leitura divertida para especialistas ou simples curiosos", diz. Antes dos tópicos, o autor faz análises sobre a lenda construída com papel, celulóide e meios digitais, que empregou o talento de milhares e despertou a paixão de gerações inteiras. "Batman é a prova do poder da força de vontade", resume.


VERBETES CURIOSOS

POSTO DO BATMAN É assim também conhecido, na praia de Camburi, em Vitória (ES), o quiosque Batman, devidamente identificado com o logotipo do herói. O local é ponto de agitação cultural e turística da capital capixaba.

BAT-ANALISADOR DE SOPA DE LETRINHAS Equipamento que o Homem-Morcego usou durante episódio que combatia o Cabeça de Ovo (Vincent Price) no seriado da TV Batman (1966-1968). É mais uma prova do espírito non sense do programa.

KEVLAR Material resistente a balas e a objetos cortantes, que é usado para revestir uniformes e máscaras de Batman e de seus parceiros. A fibra para-aramida Kevlar foi desenvolvida pelos laboratórios da DuPont, tem resistência a altas temperaturas, com proteção mecânica contra cortes. Segundo o catálogo do fabricante, pode ser usada para a confecção de mangotes e luvas de segurança, coletes à prova de bala, blindagem, entre outras aplicações.

BATMAR Pernambucano, formado em direito, dono de padaria e morador do Recife, Edmar de Oliveira, se vestiu de Batman para pedir votos. Então com 35 anos, ele foi candidato a deputado federal pelo PL nas eleições de 1994. Fez campanha usando roupas do Homem-Morcego e transformou seu Dodge Magnun 79 em batmóvel. Nas suas caravanas estava acompanhado de Robin, “batgirls” e do Coringa. Ele dizia que esse último representava os vilões da política brasileira. Na roupa do palhaço do crime ele via Fernando Collor, PC Farias e o deputado João Alves. Fã de Batman desde criança, Edmar registrou o nome Batmar no Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.



SOBRE O AUTOR
O jornalista mineiro Sílvio Ribas, 35, prefere ser visto como“estudioso do fenômeno Batman” a ser chamado de batmaníaco. Referência sobre o personagem em Belo Horizonte, onde mora, o autor de Dicionário do Morcego decidiu reunir no livro as pesquisas e análises que fez do herói nos últimos 17 anos. Na faculdade de comunicação social da PUC Minas, produziu em 1991 vídeo-documentário sobre o Cavaleiro das Trevas. Foi atuante sócio da Biblioteca Nacional das Histórias em Quadrinhos, com sede na capital, fundou com amigos o Correio Gotham, clube de intercâmbio postal de bat-fãs de Minas, São Paulo e Paraná, e sua coleção de gibis dedicada à Família Batman está em torno de 3 mil volumes, tendo participado de exposições públicas. Publicou na imprensa vários artigos sobre histórias em quadrinhos e foi entrevistado sobre Batman em reportagens de jornal, revistas e TV. Repórter, editor e comentarista econômico, começou a carreira em 1993, incluindo passagens pelo Diário do Comércio (MG) e Gazeta Mercantil (MG, SC e SP). É ganhador dos prêmios jornalísticos Abic, Caixa Econômica Federal, Fiesc e Fiat Allis, tendo realizado coberturas em diversas partes do Brasil e exterior. Assessorou a Companhia de Concessões Rodoviárias e assinou por um ano a coluna Momento Econômico, do jornal Estado de Minas, do qual é editor-assistente desde 2002.

Bat-release de 2005 em polonês


SŁOWNIK NIETOPERZA
Wszelkie detale na temat jednej z największych ikon komiksu superbohaterskiego są teraz w pobliżu ręki.

The Dicionário do Morcego (Słownik Nietoperza), napisany przez brazylijskiego dziennikarza Sílvio Ribasa, ujawnia realia świata Batmana w ponad 1,500 hasłach. Książka jest rezultatem bardzo osobistej pracy badawczej, jaką autor rozpoczął w czasów młodości, kiedy był kolekcjonerem wszelkich informacji i przedmiotów związanych z Mrocznym Rycerzem.
Od antagonistów i klasycznych sprzymierzeńców Batmana – tj. Robin, lokaj Alfred, Joker, Penguin, Riddler oraz Catwoman – do nazwisk ludzi i miejsc natchnionych poprzez legendę Nietoperza. Na 276 słownikowych stronach Ribas daje nam bardzo wnikliwy wgląd we wszystko, co miało wpływ na obecny obraz Batmana i jego przeszłość.

Ponadto autor oferuje nam ważne cytaty, parodie i odwołania do rzeczy lub miejsc, które były dla scenarzystów i rysowników historii o Mrocznym Rycerzu wielkim zauroczeniem. “Chciałem napisać najbardziej kompetentny przewodnik po świecie Batmana w języku portugalskim. Na tych kartkach znajduje się 66 lat historii tej postaci, dotykające często różnych rodzajów mediów”, mówi Ribas.

Książka ujrzała światło dzienne równocześnie wraz z trzecią falą Batmanii, jaką dla autora była premiera Batman Begins (15 lipca 2005), który to był wyświetlany w prawie wszystkich kinach świata. Dwie pozostałe fale zakotwiczyły się w latach 60. (Sławetny serial z Adamem Westem i Burtem Wardem) oraz w roku 1989 (film Tima Burtona). Te trzy wydarzenia sprawiły, że osoba, która nie czytała komiksowych przygód Mrocznego Detektywa, rozpoznaje go oraz jego symbol nietoperza na klatce piersiowej.

Komiksy, filmy, seriale telewizyjne, kreskówki, gry, rozgłośnie radiowe, zabawki, muzyka oraz wiele, wiele innych. „To wszystko pomogło książce” mówi Ribas, „ zrealizować jeden z celów, jakim jest zawrzeć wszelkie ważne wątki oraz tematy, będące esencją Batmana oraz zaspokoić fanów Nietoperza dużą dozą informacji, pomimo faktu, iż wielu z nich ma często różny stosunek i punkt widzenia do tej postaci”. Autor uświadamia również, że książke może czytać każdy. Nie tylko fani Batmana, ale również fachowcy z dziennikarstwa, psychologii, socjologii, historii i sztuki.


NA TEMAT AUTORA
Sílvio Ribas (35 lat), dziennikarz z stanu Sílvio Ribas w Brazylii, wolałby być postrzegany bardziej jako ekspert od fenomenu Batmana, a nie jako bat-maniak. Ważny badacz tej postaci w Belo Horizonte, stolicy Minas Gerais, gdzie mieszka. Autor Dicionário do Morcego zdecydował się zamieścić w książce swoją pracę badawczą i analizę bohatera, przy którym pracował ostatnie 17 lat. Po ukończeniu wyższych studiów dziennikarskich wyprodukował w 1991 film o Mrocznym Rycerzu. Jest bardzo aktywnym członkiem Biblioteca Nacional de Histórias em Quadrinhos (Narodowej Biblioteki Komiksu). Założył wraz z przyjaciółmi Correio Gotham (Poczta Gotham) - klub emaliowy, polegający na wymianie informacji pomiędzy fanami mrocznego Rycerza z całej Brazylii. Jego komiksowa kolekcja związana z Batmanem zawiera ponad 3,000 przedmiotów. Silvio opublikował kilka artykułów o Batmanie w specjalnych reportażach dla gazet, magazynów i telewizji. Pracuje jako reporter, redaktor i komentator. Swą karierę rozpoczął w 1993, pracując dla trzech głównych gazet w Brazylii przez 12 lat. Ribas został nagrodzony kilkoma nagrodami dziennikarskimi oraz uczestniczył w kilku reportażach w Brazylii i w innych częściach świata. Jest zastępcą redaktora naczelnego gazety Estado de Minas od roku 2002.

Bat-release de 2005 em inglês


DICTIONARY OF THE BAT
Brazilian journalist writes a guide with 1,500 entries about Batman

The several versions and all details about the universe of the most popular comics hero are now close at hand. The DICIONÁRIO DO MORCEGO (Dictionary of the Bat) written by Brazilian journalist Sílvio Ribas, reveals Batman in almost 1,500 entries. The book is a result of very personal research the author has developed since he was a child, as a data collector about the most famous pop culture icon.

From villains and classic allies of the Dark Knight – as Robin, the buttler Alfred, Joker, Penguin, Riddler and Catwoman – to names of people and places inspired by the legend, the 276 glossary pages bring a very close inspection of everything related to the Batman. Besides an author, character and publication directory, the book also offers quotes, parodies and references. “I wanted to write the most complete guide in Portuguese language about Batman along the 66 years of history and through the most different medias,” says Ribas.

This unpublished format comes to the bookstores simultaneously with the third Batmania wave, started with the film Batman Begins avant-premiere in movie theatres throughout the world. The two first waves were anchored by the 1966 TV series and by the 1989 film. As a result of them, even those who had never read the comics recognize the hero and his symbols.

Comics, movies, TV series and ads, cartoons, games, radio casts, toys, music and several curiosities. “They all help the book,” says Ribas, “to achieve one of the goals, which is a convergent point among the fans, as well as a necessary, essential source for more detailed researches about the issues applied to the topic or the topic itself.” He also reminds that the book has everything to fulfil a broader range of readers, not only Batman lovers, but professionals from journalism, psychology, sociology, history and arts.


ABOUT THE AUTHOR
Sílvio Ribas, 35, a journalist from the state of Minas Gerais, Brazil, wants to be seen rather as an expert of the Batman phenomenon than a bat-maniac. An important researcher about the character in Belo Horizonte, capital of Minas Gerais state, where he lives, the author of Dicionário do Morcego decided to put in the book researches and analyses about the hero he has been producing in the last 17 years. During the journalism graduation, he produced in 1991 a video about the Dark Knight. He was a very active member of Biblioteca Nacional de Histórias em Quadrinhos (Comics National Library) and founded with friends Correio Gotham (The Gotham Post,) a mail exchange club of Brazilian Bat-fans. His collection of comic’s editions all dedicated to the Batman Family is about 3,000 items. He has published several articles about Batman in special reports on newspapers, magazines and TV. He works as a reporter, editor and commentator, and started his career in 1993, working for the three major newspapers in Brazil along these 12 years. He was awarded with several journalism prizes and has participated in several coverages in Brazil and abroad. He has been the editor assistant at Estado de Minas newspaper since 2002.

Bat-release de 2005 em francês


LE DICTIONNAIRE DU CHAUVESOURIS

Journaliste brésilien écrit une guide avec 1500 entrées sur le Batman

Les plusieurs de versions et touts les détailles à propos de l’univers du plus populaire héros des “cartoons” sont maintenant à la main. Le Dictionnaire du Chauvesouris (Dictionary of the Bat) écrit par le journaliste brésilien Silvio Ribas présente le Batman en presque 1500 entrées. Le livre est le résultat d’une recherche personnel développé par l’auteur pendant sa jeunesse, dès son infance, quand il a commencé à collectionner des donnés sur le plus fameux icone de la culture pop.

Dès le villains et des alliés classiques du Chevalier Noir – aussi comme Robin, le maître Alfred, le Passepartout (Joker), le Manchot (Penguin), le Charade (Riddler) et la Femme Chat (Catwoman) – jusqu’aux noms des gents et des endroits inspirés par la legende, les 276 pages en forme de glossaire portent une inspection très stricte de tout ce qu’on peut associer au Batman. Au delà de se servir comme un index de l’auteur, des personages et des publications, ce livre aussi offre des citations, parodies e références. “Je voulais écrire la plus complete guide en langue portugaise sur le Batman à la longue des 66 années d’histoire et à travers des variés et diférents moyens”, dit Ribas.

Ce format non publiqué vient aux libraires simultanement avec la troisième vague de Batmania, initié avec l’avant-première du filme Batman Begins aux salons de cinéma au tour du monde. Les deux premières vagues fürent appuyées par la série de télévision de 1966 et par le film de 1989. Comme résultat, même ceux qui n’avaient jamais li les dessins (cartoons) reconnaissent l’héros et ses symboles.

Des dessins, films, séries de télé et annonces, cartoons, jeux, publications de radio, jouets, musiques et plusieurs de curiosités. “Tous ces recourses aident le livre”, dit Ribas, à obtenir un des buts, qui est un point de convergence des fans, bien que une essentielle source de recherches plus détaillées sur les publications appliquées au topic, ou le topic proprement. L’auteur aussi rappele que le livre tient du tout pour conquérir une atteinte plus ample de lecteurs, pas seulement les amateurs de Batman, mais aussi les professionnels du journalisme, psychologie, sociologie, histoire et des arts.

SUR L’AUTEUR
Sílvio Ribas, 35, un journaliste de l’état de Minas Gerais, Brésil, veut être connu plus notamment comme un expert du phénomène Batman qu’un Bat-maniaque. Un important rechercheur du personage à Belo Horizonte, la capitale de l’état de Minas Gerais, où il habite, l’auteur du Dictionnaire du Chauvesouris (chauvesouris) a decidé lancer dans le livre des recherches et analyses de l’héros qu’il a produit à la longue des dernières 17 années. Au cours de sa graduation de journalisme, il a produit, en 1991, un video sur le Chevalier Noir. Il a été un membre très active de la Bibliothèque Nationale d’Histoires aux Dessins (Comics National Library) et a fondé avec quelques amis le Courrier Gotham (The Gotham Post), un club d’échange de courrier des amateurs brésiliens du Batman. Sa collection d’éditions de cartoons, toutes elles dédiquées à la famille Batman, compte à peu près 3000 articles. Il a publiqué un grand nombre d’articles sur le Batman, notamment des reportages aux journaux, magazines et télévision. Il travaille comme reporter, éditeur et commentateur, et a commencé sa carrière en 1993, ayant travaillé pour trois des plus renommés jounaux au Brésil pendant ces 12 années. Il a été honoré avec plusieurs de prix de journalisme et a participé en plusieurs de couvertures dans le Brésil et hors du pays. Il a été assistant d’édition au journal Estado de Minas depuis 2002.

17 bat-verbetes do livro

ABDALÁ BUCARAM Presidente do Equador que tomou posse em 1997, permanecendo menos de seis meses no cargo. Foi afastado pelo Congresso Nacional, que o julgou mentalmente incapacitado para a função. Autoproclamado o Loco (O Louco), Abdalá Bucaram tentou sem sucesso manter-se no poder. Entre as suas insanidades durante a campanha presidencial, ele raspou o bigode diante das câmeras de televisão, pulou de helicóptero fantasiado de Batman (“Faço o diabo que quiser”, gritou durante a queda livre), posou de inca ao lado do presidente peruano Alberto Fujimori, gravou o CD El Loco Que Ama, com a banda de rock Los Iracundos, fazendo show com suas canções preferidas. Após a posse, reajustou em 1.000% os impostos sobre cigarros e bebidas. Ex-prefeito de Guayaquil, Bucaram tinha no seu principal colaborador do partido PRE, Alfredo Adum (ex-prefeito de Guayas), um parceiro nas suas sandices. Eles chegaram a se apresentar em público mais de uma vez vestidos como Batman e Robin, para obter apoio dos cidadãos equatorianos mais pobres. Adum, como Bucaram, também se considera louco. O ex-presidente está exilado no Panamá.


BATMAN NO PALÁCIO O maior herói dos quadrinhos nunca esteve diante da rainha da Inglaterra, apesar de sua grande popularidade na corte. Mas após quase cinco horas de negociações com a polícia e de uma tensa espera, o ativista Jason Hatch fez com que a imagem de Batman no Palácio de Buckingham corresse o mundo todo. Em 13 de setembro de 2004, ele escalou uma das paredes da residência oficial de Elizabeth II, depois de violar a segurança do local. Agentes da polícia metropolitana de Londres fizeram com que o manifestante de 33 anos descesse de onde estava com a ajuda de um guindaste e o colocaram em um furgão policial. Apesar da presença de guardas armados, Hatch, membro do grupo Pais Pela Justiça – Fathers 4 Justice no original – chegou ao local de onde decidiu protestar ajudado por dois indivíduos que carregavam uma escada e que foram detectados pelas câmaras de segurança do palácio. O incidente interditou os serviços de segurança e levou o ministro do Interior britânico, David Blunckett, a fazer um pronunciamento no Parlamento. A organização de Hatch defende os direitos dos pais separados e que se tornou famosa por reivindicar seus direitos através de protestos extravagantes. No momento do incidente nenhum membro da realeza britânica estava no prédio. Dias depois, no Rio, um manifestante vestido de Batman testou a segurança do Palácio Guanabara (residência da governadora), o Palácio da Cidade (residência do prefeito), o Palácio Tiradentes (Assembléia Legislativa) e o Palácio Pedro Ernesto (Câmara de Vereadores). A façanha foi registrada pelo jornal O Dia.

BLÜDHAVEN Cidade vizinha a Gotham City, também fictícia e localizada em algum ponto do Nordeste dos Estados Unidos. Foi lá que Dick Grayson iniciou seu trabalho como policial, além de atuar como Asa Noturna. A poucos quilômetros ao sul de Gotham, ao longo da costa, no Oceano Atlântico, Blüdhaven costumava ser uma cidade tranqüila, mas cedeu aos tempos difíceis. O endereço de Dick na cidade é Avenida Parkthorne, 1013.

BURT REYNOLDS Ator cogitado no final da década de 70 para interpretar Batman no cinema. Embalada pelo sucesso do filme do Super-Homem, estrelado por Christopher Reeve, a Warner fez esboços do projeto com o Homem-Morcego. O mordomo Alfred Pennyworth seria interpretado pelo inglês David Niven. Só no final da década de 80 é que o filme virou realidade, com Michael Keaton no papel-título.



CASA DOS ARTISTAS Em 2001, o maior fenômeno da televisão brasileira foi o reality show do SBT Casa dos Artistas, criado e apresentado por Silvio Santos. O cantor Supla, um dos participantes famosos, levou para lá seu personagem Charada Brasileiro, nome do seu CD lançado na época. Em um episódio, os participantes cumpriram uma prova em que tinham de interpretar um herói ou vilão, aproveitando a atuação do roqueiro Supla e parodiando o seriado dos anos 60. Patrícia Coelho interpretou a Eva (Hera) Venenosa, personagem que nunca apareceu na série; Supla, o Charada; Matheus Carrieri, Batman; Alexandre Frota, Robin (personagem que levou para o programa A Praça É Nossa), e Mari Alexandre, a Batgirl. A encenação criada pelos próprios competidores foi ao ar no dia 8 de dezembro de 2001 e a história mostrou a Dupla Dinâmica como gays que tentavam livrar a Casa dos Artistas dos vilões.

CHAD & JEREMY Duo vocal e instrumental formado pelos ingleses Chad Stuart (nascido em 10 de dezembro de 1943) e Jeremy Clyde (nascido em 22 de março de 1944) que imigraram para Los Angeles, em 1964, pegando carona na “beatlemania”. Estabelecida em Hollywood, cantando em estilo folk e pop a dupla teve uma série de hits, como “Yesterday’s Gone”, “Before And After” e “A Summer Song”. Além de cantar, Chad & Jeremy mostrou ter um surpreendente timing para comédia. Participou de todos os shows importantes da TV americana entre 1964 a 1968, e atuou em dois episódios da série Batman (números 63 e 64).

HUBIE KERNS O dublê de Adam West, que nunca apareceu nos créditos da série de TV Batman (1966-1968). Sua participação foi fundamental, tomando lugar de West em todas as cenas de risco. Ele foi também o coordenador dos outros dublês e trabalhou com todo o elenco e equipe técnica do programa. Kerns nasceu em Los Angeles em 10 de agosto de 1920. Em seus tempos de escola, se destacou por romper vários recordes mundiais em diferente disciplinas esportivas. Sua participação no Exército o impediu de competir nas Olimpíadas e tentou jogar no time de rúgbi do Chicago Bears. Sua carreira cinematográfica e televisiva começou em 1949, com pequenos papéis, mas foram suas habilidades atléticas que o levaram a ser um dos melhores dublês da história, trabalhando em mais de 35 programas de TV, como A Feiticeira e Jornada nas Estrelas. Depois do fim da série Batman se manteve ativo e também produziu programas de TV e filmes. Kerns morreu na Califórnia, em 7 de fevereiro de 1999, aos 79 anos, depois de três anos de luta contra o câncer.

MAMILOS DE BATMAN A primeira polêmica de Joel Schumacher, diretor de dois filmes de Batman, veio quando colocou mamilos nos trajes de borracha de Batman e, posteriormente, nos de Robin. Durante a produção de Batman Eternamente (1995), o detalhe em alto-relevo na fantasia do herói despertou reação irada do próprio criador do personagem, Bob Kane. Schumacher se justificou dizendo que queria dar mais apelo sensual ao Homem-Morcego, interpretado por Val Kilmer e, depois, por George Clooney. Outra controvérsia veio com os closes nas nádegas dos heróis fantasiados.

PANTERA COR-DE-ROSA, A A série cinematográfica A Pantera Cor-de-Rosa (The Pink Panther), produzida e dirigida por Blake Edwards e estrelada por Peter Sellers, como o impagável inspetor Jacques Clouseau, também fez a fama de um dos símbolos da cultura popular dos anos 60, criado pela empresa de animação DePatie-Freleng. O personagem com o nome do diamante que dá título ao primeiro dos oito filmes (1963-1983) com Sellers era também a estrela das aberturas em desenho animado para apresentação dos créditos, atuando como no cinema mudo e embalada pela inesquecível trilha sonora composta e regida por Henry Mancini. Numa dessas, a de A Nova Transa da Pantera Cor-de-Rosa (The Pink Panther Strikes Again), de 1976, o felino rosa e esbelto homenageia ícones do cinema como Alfred Hitchcock, Conde Drácula, King Kong, Julie Andrews e Batman. A Pantera faz paródia do seriado da TV com trajes do Homem-Morcego e trechos do seu conhecido tema musical. No filme, o vilão planeja vaporizar monumentos públicos, usando uma invenção que lembra o desmoleculizador do filme Batman (1966).

PIORES DO MUNDO, OS Edição especial de história em quadrinhos da DC Comics escrita por Evan Dorkin e desenhada por um selecionado grupo de artistas (boa parte vinda dos estúdios de animação) que mostra a hilária e catastrófica disputa dos seres mágicos Bat-Mirim e Mr. MXYZPTLK. Publicada no Brasil pela Opera Graphica Editora em 2003, a revista com os duendes das famílias Batman e Super-Homem, chamada no original em inglês de World's Funnest (trocadilho com o título World's Finest), faz um passeio nostálgico por várias fases dos dois maiores heróis da DC nos quadrinhos, acompanhados dos seus maiores azucrinadores.

PISTOLA 45 AUTOMÁTICA Arma usada por Batman em suas primeiras histórias, em 1939, para fazer sua própria justiça e limpar as ruas de Gotham City. Em sua segunda aparição, por exemplo, em Detective Comics 28, o personagem era visto pelos policiais e cidadãos de Gotham City como um outro bandido, pois eles não entendiam que um defensor da lei utilizasse aquela vestimenta mascarada e tivesse aquele comportamento explosivo.

PLACA DO BATMÓVEL A licença do carro mais famoso do mundo apareceu logo no primeiro episódio da série de TV Batman (1966-1968). O número da placa emitida pelo Departamento de Trânsito de Gotham City era 2F-3567, com o complemento Gotham City 1966.

SHAO-LA Arte milenar oriental de autocontrole. Durante sua temporada de estudos no Oriente, Bruce Wayne ouviu muito sobre o Taoísmo. Entre os relatos chegados a ele estava o de que os praticantes eram feiticeiros, alquimistas, homens capazes de ler o futuro. Para descobrir o segredo deles, Wayne partiu então para as montanhas Tanggula Shan, perto da fronteira da China com o Tibete. Lá conheceu a técnica Shao-La, ensinada por uma anciã.

SIN TZU No dia do aniversário da morte dos pais de Bruce Wayne, um vilão sem rosto aparece em Gotham City, trazendo o caos na noite. Sin Tzu, mestre da estratégia e das artes marciais, fez história como primeiro personagem de Batman a estrear primeiro em um videogame. A DC Comics e a Warner Bros. recorreram ao talento do roteirista veterano Flint Dille e aos reconhecidos desenhos de Jim Lee para realizar o projeto. Lee criou o visual do oponente do guardião de Gotham juntamente com os designers do game. Veja Rise of Sin Tzu, o game.

SOLOMON ZEBEDIAH WAYNE Solomon Wayne apareceu primeiro na revista Shadow of the Bat 45. Juiz e homem de negócios em Gotham City durante o século 19, ele foi o tataravô de Bruce Wayne e o primeiro a morar na Mansão Wayne. Foi um dos construtores do estilo arquitetural da cidade.Veja WayneCorp.

TOMMY ELIOT O amigo de infância de Bruce Wayne, Thomas Elliot ou simplesmente Tommy, não tinha apenas o mesmo primeiro nome do pai de Batman. Também era médico. O reencontro dos dois ocorreu décadas depois da infância, quando cada um seguiu seu rumo, na saga Silêncio. Ele se tornou pivô na briga do Homem-Morcego contra outro grande amigo em tempos de trajes civis: Harvey Dent (Duas-Caras).

XEQUE-MATE Agência federal dos Estados Unidos de perfil ultra-secreto e que, entre outras coisas, busca saber mais sobre Batman. Seu quartel-general foi montado nas instalações abandonadas de outra agência, nas Montanhas Rochosas, mantendo escritórios regionais nas principais cidades norte-americanas. O Xeque-Mate foi criado por Amanda Waller como braço independente de outra agência que controlava o Esquadrão Suicida. Sua hierarquia segue os nomes das peças de um jogo de xadrez e entre os membros que já foram recrutados estão: Sasha Bordeaux (veja Salteadora), Harvey Bullock, Valentina Vostok (Mulher-Negativa) e a Caçadora.

Seguidores do Morcego, uni-vos!


Está criado mais um canal para o debate construtivo entre os admiradores do personagem Batman no Brasil e no mundo. Este blog pretende ser um local de encontro de fãs, um banco de dados inteligente sobre o personagem da Warner/DC Comics e um centro de reflexão sobre a filosofia trazida nas suas histórias. Aceito sugestões de temas, textos científicos e links. Mais adiante vou postar o material que acumulei nos últimos anos, boa parte dele representado no livro Dicionário do Morcego (Flama, 2005), com apenas uma edição. Bat-abraço.