24 de setembro de 2008

Batman no Guia dos Curiosos

Tive o prazer de, no dia de meu lançamento do Dicionário do Morcego em Sampa, ter dado uma entrevista pela manhã ao programa Você é Curioso?, do jornalista Marcelo Duarte, autor da série Guia dos Curiosos. Apareceu na Comix até alguns ouvintes da manhã, curiosos em conhecer o livro. Reproduzo a seguir notas curiosas sobre Batman publicadas no site do Guia dos Curiosos.

PERFIL – Batman foi criado por Robert Kane em 1939, a pedido da editora de quadrinhos National Periodical Publications (atual DC). Inicialmente o personagem usava uma máscara parecida com a do Zorro e um uniforme vermelho. Kane consultou seu amigo Bill Finger, e o cartunista sugeriu algumas alterações. A máscara foi substituída por um capuz com orelhas pontiagudas e o uniforme passou a ser azul e cinza. Em maio de 1939 o Homem-Morcego estreou no mundo do HQ. Foi na revista Detective Comics número 27, com a história “O Caso dos Químicos”, escrita por Bill Finger e desenhada por Bob Kane. Batman, que no Brasil também era chamado de Homem-Morcego, forma ao lado de seu pupilo Robin a Dupla Dinâmica.

BURT WARD – O ator Burt Ward, que interpretou Robin no seriado dos anos 60, teve sérios problemas coma censura norte-americana da época. A “Liga da Decência”, como era conhecido o grupo censor da época, cismou que o pênis do ator ficava muito proeminente com aquela fantasia apertada. Para tentar solucionar a questão, os produtores tentaram usar duas sungas e até mesmo colocar gelo no local para ver se o órgão ficava menor. Uma última tentativa foi dar ao ator um remédio para diminuir à força a proeminência, mas com medo de efeitos colaterais permanentes, Burt parou de tomá-lo depois de algum tempo. A solução final foi gravar a cenas de Robin da cintura para cima.

BATMAN & ROBIN – Para o filme “Batman & Robin” foram feitas 50 fantasias completas para George Clooney e outras 50 para o Robin, Chris O’donnell.

FILHO DO MORCEGO – Na revista Graphic Novel n°7, de janeiro de 1989, o homem morcego vira papai. Isso mesmo, e a mãe é a filha de seu inimigo Rãs Al Ghul, Tália. O título desta história é “Batman o filho do demônio”.

SANTA COINCIDÊNCIA! – Segundo a DC Comics, Batman tem 1,89 metro de altura e pesa 99,7 quilos. Adam West e Christian Bale –o Batman do seriado dos anos 60 e o dos filmes Batman Begins e The Dark Knight respectivamente – tinham o mesmo peso quando viveram o personagem.

RIACHO DOCE – Nas primeiras histórias publicadas no Brasil, em 1940, Batman era conhecido como Morcego Negro e a identidade secreta era Bruno Miller, e não Bruce Wayne. O nome de Gotham City também foi alterado na versão brasileira, era Riacho Doce. Nota do blog: Riacho Doce é uma cidade de Alagoas.

ANTES DE BEGINS – Antes de ser intitulado de Batman Begins, o filme dirigido por Christopher Nolan teve outros títulos. Batman 5, Batman: The Frightening e Batman: Intimidation Game, são algumas das opções que foram rejeitadas.

ESPANTALHO – Cillian Murphy, que fez o papel do vilão Espantalho em Batman Begins fez o teste para ser Batman. Mas seu perfil não se encaixou no personagem. Como o diretor gostou muito do teste, resolveu coloca-lo em outro papel.

ADAM WEST – Em 1966, o super-herói ganhou um seriado na televisão estrelado pelos atores Adam West, que fazia Batman, e Burt Ward, no papel de Robin. De cara, o programa ficou entre os dez mais assistidos da TV norte-americana. West, devidamente caracterizado como Morcegão, acabou virando até capa da revista Life. A série ficou no ar entre 1966 e 1968.

NA TELONA – A idéia de adaptar a história de Batman para as telonas surgiu em 1980. Tom Makiewics, que ajudou a escrever o roteiro de Superman (1978), compôs uma trama que mostrava as origens do Homem Morcego e de seu fiel escudeiro, Robin. O filme deveria ser lançado em 1985, mas os produtores resolveram arquivá-lo. Por ironia do destino, justamente em 1985, o estúdio desencavou o projeto e resolveu oferecê-lo ao diretor Tim Burton. Ele levou quatro anos para concretizar Batman, que teve o ator Michael Keaton no papel do morcegão.

MULHER-GATO – Selina Kyle, a mulher-gato, apareceu em 1940, já no papel de ladra de jóias e nas histórias do Batman. No começo era uma personagem sem muito apelo sexual. Mas, com o tempo, isso mudou. Quem não se lembra da série televisiva dos anos 60, em que ela aparecia em trajes bem colantes? Nos quadrinhos, um ponto bem explorado é o dos sentimentos reprimidos entre ela e o Homem-Morcego, apesar de cada um estar de um lado da lei.

MULHER-GATO, O FILME – A atriz Michelle Pfeiffer recusou o papel porque, na época em que ela interpretou a personagem em Batman: O Retorno (1992), achou seu visual muito desconfortável. Foram treinados 43 gatos para participar do filme. Um deles acabou sendo adotado pela atriz Halle Berry, que faz o papel principal. A cena da briga entre a Mulher-Gato e Laurel Hedcare demorou nove dias para ser filmada. O chicote da Mulher-Gato foi gerado por computador na maioria das seqüências. Durante as gravações, Halle Berry bateu a cabeça e precisou ficar dias afastada do trabalho. Ela é a segunda atriz negra a assumir o papel. A atriz Eartha Kitt interpretou a Mulher-Gato no seriado Batman, que foi veiculado de 1966 a 1968. Julie Newmar, Lee Meriwether e Michelle Pfeiffer também já encarnaram a vilã fatal. A Matel lançou uma versão limitada da Barbie com a roupa da Mulher-Gato. O filme não fez muito sucesso nos cinemas. No final de semana de estréia nos EUA, arrecadou apenas 17,16 milhões de dólares. Ficou atrás de Eu, Robô (2004), com 22,05 milhões.

Nota do blog: Halle Berry foi treinada por um professor brasileiro de capoeira para andar como um gato.