5 de julho de 2009

Agradecimento tardio

Meu obrigado aos amigos do fan-clube Batbase, o maior do Brasil, e ao programa "Escola Brasil", apresentado por Sergio Rito, por terem apresentado e comentado o meu livro, o Dicionário do Morcego. Foi na entrevista dada em 2006 por Renato Araújo, presidente do fanclub, seu filho, Renato Júnior (Robin/Tim Drake), e o colecionador Robson Brasil (a versão brasileira do Batman de Adam West). A entrevista foi gravada no dia 5 de outubro de 2006 e foi ao ar no dia 17 do mesmo mês, pela Rede TVE Brasil (Guarulhos).

Coringa em Casablanca









O ator alemão naturalizado britânico Hans Walter Konrad Veidt, mais conhecido como Conrad Veidt (1893-1943), foi fundamental para a criação do personagem Coringa. Sua caracterização no filme “O Homem que Ri” (1928), como Gwynplaine, ajudou a Jim Robinson a conceber o super-vilão Joker, de Batman. Isso quase todo batmaníaco sabe. O que poucos lembram é que Veidt se tornou-se célebre por seus papéis em filmes como O Gabinete do Dr. Caligari (1920), no qual faz o antológico sonâmbulo Cesare, O Ladrão de Bagdá (1940) e, sobretudo, Casablanca (1942), onde faz o vilão da fita clássica, o major nazista Heinrich Strasser. Na vida real, Veidt foi um importante opositor do regime hitlerista.

Natalie Portman inspirou cartoon

Demorou mais de dez anos para eu associar a garotinha do episódio "Growing Pains"/"Dores do Crescimento" (1998) com a personagem de Natalie Portman em "O Professional". Acho que os produtores do desenho animado "The New Adventures of Batman" mais do que se inspiraram na inesquecível Mathilda, apresentada nas telonas do mundo quatro anos antes, para criar a Annie, responsável pela primeira dor de cotovelo do apaixonado teenager Robin (Tim Drake). A "filha" do Cara de Barro usa o mesmo traje, nos pequenos detalhes, e o penteado de Natalie no filme de Luc Besson, estrelado por Jean Reno. Por acaso, alguém discorda desta bat-trivia?