31 de março de 2016

Batmen do cinema


LEWIS WILSON ("O Morcego", 1943)
O norte-americano Lewis Wilson tinha só 23 anos quando foi escolhido para dar vida ao bilionário Bruce Wayne na primeira versão para o cinema do Cavaleiro das Trevas. Exibido em quinze capítulos nos cinemas, "O Morcego" mergulhava no espírito da Segunda Guerra Mundial, com o herói combatendo um espião japonês, Dr. Daka. A carreira de Wilson basicamente não foi para lugar nenhum, e uma década depois ele se aposentou do show biz.

ROBERT LOWERY ("A Volta do Homem Morcego", 1949)
O segundo seriado com o Homem Morcego nos cinemas trouxe um novo ator no papel principal. Robert Lowery, aos 36 anos, assumiu a persona do playboy Bruce Wayne em "A Volta do Homem Morcego" (com Johnny Duncan como o Menino Prodígio) para combater um vilão encapuzado, o Mago. Com orçamento ínfimo, o seriado deu a Lowery  (que teve uma longa carreira no cinema e na TV) o pior traje do Batman de todos os tempos.

ADAM WEST ("Batman: O Homem Morcego", 1966)
Não há dúvidas de que Adam West é um dos grandes responsáveis por popularizar o Homem Morcego na cultura pop. Ao protagonizar a série de TV assumidamente extravagante por três temporadas, de 1966 a 1968, West injetou humor em uma versão leve e solar do herói noturno. A versão para o cinema estreou dois meses após o fim da primeira temporada na TV e trouxe o mesmo tom farsesco, com Adam West sempre à frente. Depois de Batman, sua carreira praticamente naufragou, mas ele foi elevado à condição de ícone pop nos anos 1990 com a popularização das convenções de cultura pop pelos Estados Unidos, e continua na ativa, principalmente como dublador.

MICHAEL KEATON ("Batman", 1989; "Batman - O Retorno", 1992)
Michael Keaton esteve à frente de uma das grandes polêmicas envolvendo um ator e seu personagem ao ser alvo de um abaixo-assinado contra sua escolha. Conhecido por comédias como "Fábrica de Loucuras" e "Os Fantasmas se Divertem", os fãs temiam uma repetição do clima cômico da série de TV dos anos 1960. Não podiam estar mais enganados. Keaton provou ser um intérprete à altura do Batman do fim do século passado, e construiu uma carreira de prestígio, coroada com uma indicação ao Oscar por "Birdman" em 2014.

KEVIN CONROY ("Batman: A Máscara do Fantasma", 1993)
Nenhum ator interpretou o Homem Morcego tantas vezes quanto este americano de 60 anos. Kevin Conroy emprestou sua voz ao Cavaleiro das Trevas em "Batman: A Série Animada", provavelmente a melhor série animada da história, de 1992 a 1995, retomando o papel inúmeras vezes em outras séries (como "Batman do Futuro" e "Liga da Justiça") e longas de animação --atualmente Conroy está completando a adaptação da graphic novel "A Piada Mortal". "A Máscara do Fantasma", de 1993, foi o único de seus trabalhos como o herói lançado nos cinemas. E é excepcional!

VAL KILMER ("Batman Eternamente", 1995)
Quando Tim Burton e Michael Keaton deixaram a série do Cavaleiro das Trevas no cinema, Val Kilmer, já um astro de prestígio, assumiu o personagem no longa dirigido por Joel Schumacher. Embora trouxesse a fisicalidade do herói, Kilmer foi refém de um filme de tom indefinido entre a aventura sombria e a paródia, tom ampliado pela dupla de vilões exagerados interpretados por Tommy Lee Jones (Duas Caras) e Jim Carrey (Charada). Kilmer optou por não retomar o papel, filmando "O Santo" em seu lugar.

GEORGE CLOONEY ("Batman & Robin", 1997)
Não é raro George Clooney afirmar que quase matou o Batman no cinema com o malfadado longa que Joel Schumacher executou em 1997. Ele não está de todo errado. Astro então em ascensão depois de uma carreira sólida na série de TV "Plantão Médico", Clooney aceitou o papel e tentou imprimir um tom mais sério a seu Bruce Wayne --tentativa inglória, já que o roteiro basicamente é uma versão não oficial da série cômica dos anos 1960, com vilões exagerados, muita cor e diálogos de doer. O ator, claro, saiu ileso do desastre, tornando-se um dos maiores e mais respeitados astros do cinema moderno. Mas a armadura com mamilos, herança de Val Kilmer, vive para sempre.

CHRISTIAN BALE ("Batman Begins", 2005; "Batman - O Cavaleiro das Trevas", 2008; "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge", 2012)
Depois de deixar o Batman descansar por quase dez anos depois de "Batman & Robin", o estúdio entregou o personagem ao diretor Christopher Nolan, que escalou Christian Bale para o papel de Bruce Wayne --e juntos fizeram história. Com uma abordagem realista, e mergulhando fundo na dualidade do personagem, o ator galês criou uma das interpretações definitivas do herói em qualquer mídia. O segundo filme, "O Cavaleiro das Trevas", trouxe seu embate inesquecível com Heath Ledger (no papel do Coringa) e criou um dos grandes fenômenos pop do cinema moderno.

BEN AFFLECK ("Batman vs. Superman - A Origem da Justiça", 2016)
A internet parecia quebrar em 2013 quando Ben Affleck foi anunciado como o novo Batman, seguindo a versão extremamente bem sucedida de Christian Bale como o personagem. Affleck começou sua carreira ainda adolescente, ganhou um Oscar (com o amigo Matt Damon) pelo roteiro de "Gênio Indomável", de 1996, experimentou a vida de "astro de cinema" e viu sua estrela apagar, reacendendo a carreira como diretor em três filmes excepcionais. Sua decisão de interpretar o Batman em um universo compartilhado no cinema foi baseada numa necessidade de oxigenar sua carreira em um cinema de grande escala, o que também abre novas portas para ele por trás das câmeras.